quarta-feira, 11 de março de 2015

Eu já estava surda dos meus gritos, da sua ausência, da solidão, da dor aguda.
Você voltou. Voltou sua voz, voltou seu cheiro, voltou "nós".
Não mais surdez, não mais ausência, não mais dor, não mais solidão.
Agora fica. Não mais muda. Não mais falta. Não mais "não".

segunda-feira, 9 de março de 2015

Cada vez mais, e com mais frequência, e quase sempre... relacionar-se é desafiante. É difícil encarnar a mesma ética que sugerimos, que aconselhamos, que acreditamos... e estarmos satisfeitos. É difícil dar conta dos nossos desejos. Família, trabalho, estudos, namoro, amizades e solidão são conquistas difíceis de coexistirem assim... à nossa maneira, em função do nosso prazer, sem violentar o prazer e o exercício de liberdade dos outros.

É tão difícil...